Pular para o conteúdo principal

Quem é o homem na estatueta do Oscar?



Maior premiação do cinema mundial, o Oscar tem um símbolo reconhecido por todos: sua estatueta dourada.


Todo ano ela está lá, reluzente, à espera – desejada por atores, diretores e tantos outros que trabalham na indústria do cinema.

No entanto, mesmo que seja um dos símbolos mais evidentes do mundo das películas, a história que fundamenta a criação do famoso e bem disputado troféu é pouco conhecida. De acordo com a Academia Awards, tudo começou no final da década de 1920.

Cinema:  como nasceu o Oscar

 O início.

 Um pouco depois da formação da Academy of Motion Picture and Sciences, no ano de 1927, um jantar no Hotel Bilmore, no Centro da cidade de Los Angeles, Estados Unidos, preparava o futuro da premiação mais conhecida do cinema.

O encontro tinha como proposta entender os objetivos da associação e, entre uma das discussões daquela noite, estava a escolha da melhor maneira de premiar quem se sobressaísse nos filmes.

A Criação de um símbolo

Uma vez concretizada a ideia de uma premiação anual, o grupo, então, visou à criação de um símbolo que pudesse ser utilizado para presentear os destaques futuros.

Cedric Gibbons – diretor de arte da MGM à época – designou, assim, a estatueta de um cavalheiro em pé sobre um rolo de filme - segurando, ainda, uma espada.

O rolo fundamentaria os cinco ramos originais da academia: atores, diretores, produtores, técnicos e escritores.

O passo seguinte, então, foi buscar George Stanley, o escultor que produziu a peça em três dimensões. Nascia, assim, o símbolo mais célebre do cinema.

Oscar – do que é feito

De acordo com os dados da Academia, desde o início das premiações, em 1929, no Hollywood Roosevelt Hotel, mais de 2800 das almejadas peças douradas foram dadas.

As esculturas possuem o seguinte processo antes das premiações: a cada mês de janeiro, estatuetas adicionais são lançadas, passando por procedimentos de molde e polimento. As atividades são realizadas desde o ano de 1982, pela Owens & Company, de Chicago.

O modo de fabricação e os materiais utilizados na estatueta se alteraram ao longo dos anos, adaptando-se a períodos e combinações diversas.  
As primeiras estatuetas do Oscar eram feitas de bronze e banhadas a ouro. Mais tarde, a peça começou a ser feita de uma liga de estanho, banhada em cobre, prata níquel e ouro de 24 quilates.

No período da segunda guerra mundial, com a escassez de metais, as peças foram feitas de gesso pintado – isso aconteceu por três anos.  Posteriormente ao período conturbado, os itens começaram a ser feitos em metais banhados a ouro, o que é realizado até os dias atuais.

E o nome Oscar?

O nome oficial do símbolo é Academy Award of Merit, entretanto a estatueta é conhecida mundialmente como Oscar. O item foi dado pela primeira vez a Emil Jannings, como melhor ator em duas produções de 1929.

A origem do apelido não é claro, mas, segundo a academia, há uma história popular a respeito do assunto:

À época do início da ideia, Margaret Herrick – bibliotecária e uma eventual diretora executiva da associação – viu a peça pela primeira vez, e a achou semelhante a um tio  - o parente chamava-se Oscar. 
O apelido começou a ser largamente conhecido. Em 1934, o colunista de Hollywood Sidney Skolsky o utilizou em referencia ao prêmio de melhor atriz de Katharine Hepburn, por exemplo.

Mais tarde, em 1939, devido ao sucesso da nomenclatura, o nome Oscar foi adotado oficialmente pelo órgão cinematográfico.

 A Academy of Motion Picture and Sciences possui mais de 6 mil membros relacionados à indústria do cinema. Mais conhecida por sua cerimônia relacionada ao Oscar, a associação engloba ainda campos de educação, divulgação, preservação e pesquisa.

Postagens mais visitadas deste blog

Três imperdíveis séries de culinária na Netflix

Que tal dicas de culinária na Netflix?  Selecionamos séries bem interessantes na plataforma de streaming para quem curte pratos diferentes. São produções em distintos contextos documentais. Cada uma melhor que a outra. Para ver já. Três séries de culinária na Netflix Somebody Feed Phil Nesta série em formato documental, Phil, um entusiasta da gastronomia cultural, viaja pelo mundo em busca de novos sabores. A série traz, além de muita comida, os pormenores das vidas dos chefs. São quatro temporadas. Street Food Nesta série, também em formato documental, conheça diversos sabores relacionados à comida de rua. A produção traz histórias de cozinheiros que fazem sucesso com seus pequenos empreendimentos pelo mundo. Na Rota do Taco Nesta série, um dos mais queridos e práticos pratos do mundo é explorado em diversos contextos culturais. Conheça diferentes versões do saboroso taco. Mais dicas de culinária? Deliciosa receita de Maçã com Nutella no micro

MAÇÃ com NUTELLA E PAÇOCA |Receitas fáceis e rápidas| receitas de micro

Três dicas na Netflix para quem curte ação

 Que tal dicas de ação na Netflix para a semana? Selecionamos três ideias para começar já. Uma série e dois filmes. Dicas de ação e aventura Netflix: Três produções para assistir hoje